Archive for the 'olha a balança aí gente' Category

Regras para uma dieta

tumblr_l70a4pUYPO1qa2xsmo1_500

1- Se você comer alguma coisa e não tiver ninguém por perto, essa coisa não tem calorias.

2- Se você tomar um refrigerante diet e comer uma barra de chocolate, as calorias do chocolate são anuladas pelo refrigerante diet.

3- Quando você come acompanhado, as calorias não contam se você comer tanto quanto as pessoas que estão com você.

4- Comidas usadas com propósito medicinal NUNCA contam calorias. Por exemplo: chocolate quente, brandy, torradas e torta de limão Miss Daisy.

5- Se você conseguir engordar todos a sua volta, vai parecer mais magro.

6- Comidas associadas a cinema não tem calorias extras porque fazem parte do programa e não do seu combustível pessoal. Exemplo: pipoca com manteiga, drops de hortelã, batatas fritas, cachorros quentes, Bis.

7- Pedaços de cookies não contam calorias porque o processo de quebrar os biscoitos queima calorias.

8- Coisas que grudam em facas e colheres não tem calorias desde que você esteja envolvido no processo de preparação da comida quando elas grudarem.

9- Comidas da mesma cor tem o mesmo número de calorias. Exemplos: espinafre e sorvete de pistache, abacaxi e purê de batatas, beterrabas e geléia de framboesa.

10- Chocolate tem cor universal e pode ser substituído por qualquer outra cor de comida, sem acréscimo de calorias.

11- Alimentos consumidos em pó não contém calorias. As calorias caem no chão por causa da relação entre gravidade e densidade da massa calórica.

12- Qualquer coisa que você coma do prato da outra pessoa não tem calorias, uma vez que as calorias pertencem, por direito, a outra pessoa, e, automaticamente pularão de volta para o prato dela (todos sabemos como as calorias gostam de pular de um lado para o outro).

13- Numa recepção com buffet é importante discernir entre as coisas que engordam e as que não. Por exemplo:

a) Salgadinhos e doces oferecidos nas bandejas pelos garçons são mais calóricos se você está conversando com alguém que se recusa a aceitá-los.

b) Para não acumular calorias, é recomendável que você apanhe comida sempre em pontos diferentes do salão, nunca servindo-se 2 vezes em seguida da mesma bandeja.

c) A regra acima não vale quando você estiver sozinho, sem ninguém por perto observando; se isso acontecer, entre num vortex anti-calórico e tudo o que conseguir comer nessa condição tem valor ZERO na contagem das calorias.

d) Álcool, se servido numa recepção, tem valor calórico nulo.

e) Bolos e doces servidos em festa só engordam se você comer o prato todo.

Dica de texto da @francorbo, que roubou daqui.

Anúncios

porta-trecos

Semana agitada.

Ganhar ingresso vip pra comédia stand up contando cantada de pedreiro tosca no twitter; pagar pra ser chamada de ALOKA!*; cineminha pra assistir Distrito 9; muito MUITO trabalho.

Fim de semana digno.

Ir no shopping com a amiga comer porcaria e finalmente comprar meu Adidas Originals, lindão de cano alto¹; assistir 3 episódios seguidos de LW² até 6h da manhã e capotar no sofá; almoçar Doritos; assistir mais LW com a outra amiga via MSN, a tarde toda, e ir comentando cada detalhe; cerveja por horas com mais 10, rindo até chorar; acertar o lado do bolo e realmente achar que o pedido vai se realizar…; assistir Altas Horas com as meninas via MSN e comentar cada detalhe de enrrugadinha de nariz, dancinha de bonecão de Olinda e o tênis moleca do nosso bofinho lindo³, além de secar a bundinha do John *___*; assistir o resto da temporada que falta e acordar feliz amanhã 5h da tarde pra ir no Credicard comprar os ingressos da sexta. \o/

É muito amor no meu coração. 🙂

*Iris, essa foi pra tu! (L)

1. =)

2. Tina e Angelica! *_______*

3. Bofinho, tu tem twitter?

ana2

                                  “ééé…”

Bjs

 

Eu, hein

Pra começar já alerto que hoje é segunda-feira e este fato já consegue exterminar o sorriso do meu rosto por si só. Assim, pelo menos até as 18h. Então eu acho que é um belo de um bom momento pra botar pra fora umas coisas que eu ando tendo vontade de falar, assim, logo de uma vez.

Então, lá vai:

copao

Explico.

Ultimamente eu ando de saco cheio de escutar besteiras e ficar quieta. Não que meu saco vá exatamente esvaziar, afinal, se eu falar pra todo mundo tudo o que eu realmente penso de todas as coisas que eu NÃO concordo, eu estaria solteira, desempregada, sem amigos e longe da família inteira há uns 9 anos. Mentira que da família inteira, mas de certos membros dela, com certeza. Porque né. Com 13 anos a gente já saca muita coisa. Só que tem algumas coisas que eu simplesmente cansei de discutir com as pessoas, sabe. Gosto, estilo e valores, por exemplo. Tá que eu não ganho rios de dinheiro e tampouco consigo me sustentar sozinha com a alfafa nossa de cada dia. A alfafa ganha mal dá pro sal do gado e pro leite das meninas, mas a gente faz o que pode. Só que é o que eu ganho cortando cana aqui, e eu gasto como eu bem entender, e eu devo pra quem eu quiser. Se eu gosto de gastar com shows, livros e discos, eu gasto. Se eu gosto se sapatos e roupas, eu gasto. Azar é o meu. Aliás, azar é o do Unibanco, né. Mas enfim.

Digo mais: se no meu carro eu só ouço música estranha, MPB ou punk rock aramaico de freiras cegas belgas de perna cabeluda o azar é de quem? É dos frentistas dos postos de gasolina que eu paro. Porque né amigo, se você tá de carona tá pago pra ficar quieto, concorda?

E não terminei: se eu gosto de dormir muito, quem é que tá perdendo tempo dormindo? Se eu gosto de sair correndo pelada na rua cantando ‘Minha Periquita’, quem é que paga mico? Se eu tomo quatrocentos remédios pra dor de garganta e depois tomo uma Coca Light bem gelada, quem é que se fode com imunidade baixa? É você? Não é, né? Então antes de se passar por boneca-inflável e ficar com essa cara de surpresa, vamos combinar uma coisa: eu sou assim. Certo? Todos entendidos? Ótimo. *

MUDANDO DE ASSUNTO

sexta-feira eu fui no Shopping Ibirapuera comprar o cd novo da Ana, N9ve. Entrei nas Lojas Americanas e achei lá, por R$19,90. Mas só que então. Acho tão tosco as Lojas Americanas. Como diz a Dé, você entra pelos esmaltes, passa por um túnel de ovos de páscoa, pelas calcinhas e potes de plástico até chegar nos cds, que aliás, ficam numa ZONA FRANCISCANA, mal dá pra entender onde fica o sertanejo, o góspel e o punk rock das freiras belgas. E ai, que triste um cd tão bacana dentro de uma sacola da AMERICANAS né, tipo. Enfim. Então que eu pensei que putz, vou na Saraiva. Lojinha aconchegante, bonita, organizada, com uma Starbucks cheirando café novo ali e taus, toda uma experiência de compra né. Então tá, subi os 3 andares, entrei na Saraiva. Tava lindo lá o cd, em destaque na entrada da loja… tudo maravilhoso, mas por R$24,90. Daí meu bolso deu um beliscão na minha bunda e me lembrou que nem rola dar 5 pilas pra Saraiva só porque ela é bonitinha, né. Daí voltei pras Americanas, fiquei 2 horas escolhendo qual capinha tava menos amassadinha nas pontas dentro daquele prástico tosco que eles embalaram e fui pra fila pagar.

Saí toda boba com meu cdzinho, abri, olhei, li o encarte e taus. Embalei bem embaladinho dentro da sacola da Americanas e fui pra praça de alimentação. Proletária que sou, comi no lugar que na matrix Preço x Qualidade fica mais bacaninha e tal. Daí veio a merda: aquela vontade louca de comer um doce. E ai… Amor aos Pedaços. Porque né, mnhamis. Mas daí eu pensei comigo: tá, se é pra pisar na jaca, vou escolher um bolo que esteja MUITO LINDO, e pegar uma fatia beeeem finiiinha, porque daí, das calorias, as menores. Fiquei 3 horas namorando a vitrine, escolhi um bolo lindo, todo recheado, cheio de frufrus e mon amour e tals. Chamei a moça e falei:

– Beeem finiiiiiiiiiiiinho.

E ela cortou realmente BEM fininho. Botou na balança. R$10,40.

Juro por Deus que a porra do bolo custou dez reais e quarenta centavos. Tipo, metade do preço do cd. Tipo, o preço da minha janta. Cara, sentei com vontade de comer aquele bolo por cada centavo que ele custou, e na primeira garfada a única coisa que me veio na cabeça foi:

– Puta que pariu, o bolinho de polvilho da minha tia Arlinda é melhor. E é de graça.

Fui pra casa meio decepcionada, juro por Deus. Porque eu nem gosto tanto assim de doce e com R$10,40 eu enfiava o pé num Mc Donald’s de uma vez. Caralho. Mas segue o baile, né. E eu sigo R$10,40 mais pobre e 968 calorias mais gorda.

FALANDO EM SER POBRE

ontem no supermercado eu notei quão bicha é o meu carrinho de compras. Produto de limpeza, flores, água, sopa, pepsi e areia pra gato. Porque ter gato e tomar sopa é coisa de mulherzinha. Ou de gay. Ou dos dois.

E FALANDO EM SER GORDA

acho que vou entrar na academia. De novo. Sabe quando você sente que precisar SAIR CORRENDO pra queimar banha? Tô super sentindo isso.

Pena que a única coisa que eu consigo focar agora na minha frente é uma tigela cheia dos bolinhos de polvilho da minha tia Arlinda.

biscoito-polvilho

Beijo da gorda! 

* isso não é para ninguém em especial. É no geral, mesmo. Se a carapuça servir, já sabe.

6ª.

Hoje é sexta-feira, e só o fato de amanhã ser sábado me dá uma sensação maravilhosa.

Sábado é dia de dormir muito, de descansar, de ficar de papo pro ar! Dia de ir na 25 procurar uma mala nova decente e uma bolsa preta, dia de comer comida gostosa, de assistir tv, de arranjar algum programa bacana pra fazer com os amigos.

Domingo, pé de cachimbo. Acordar depois das 13h e ir almoçar no shopping. 

Mas não é só a idéia de um final de semana inteirinho, só meu, que me dá essa alegria de viver, não. Hoje é sexta-feira, e sexta-feira é dia do meu rodízio. O que significa que eu posso chegar às 11h da manhã aqui na lavoura. Claro que eu tenho (obrigatoriamente, porque se não me multam na rua) que ficar aqui até as 20h, mas that’s no problem for me! Afinal, o pessoal vai embora lá pelas 18h30 e ficar 1h30 de bobeira na internets é bem lecau. 

Hoje eu estava sonhando que eu estava muito, muito apertada, e ia no banheiro fazer xixi. E EU FAZIA MUITO XIXI, mas a vontade nunca mais passava. Quando eu acordei, eu estava quase chorando de tão apertada. E já eram 10h30 da manhã. (oo) O despertador simplesmente não tocou (ou tocou e eu desliguei, o que provavelmente foi o que aconteceu), e a minha bexiga achou por bem me apertar pra eu não chegar na sensala atrasada. Viu? Até meu rim colabora pra tornar a minha sexta-feira mais feliz. Ele pensa: “vou deixar ela dormir até mais tarde, mas não até tão mais tarde assim”. 

Só tem uma coisa que realmente está me incomodando muito: a faxineira. Ela vai lá amanhã, e ela cobra muitos dinheiros pro meu gosto, sabe. 20 dinheiros a mais do que eu acho certo. Mas ela é daqui da masmorra, e eu caí na anencefalidade de convidar ela pra faxinar lá o cafofo. Agora é foda falar: então amiga, você é careira pra caralho e come tudo a minha comida, então deixa assim: você nunca mais vai lá e eu vou seguir te encontrando todos os dias lá no trabalho tá? Beijonãoliga. Foda. Foda. Meu cu.

Só me resta deixar umas 15 pilhas de roupa pra ela passar e muita louça pra lavar né? Fazer o que. Afinal, hoje é sexta. Dia de ver TV e comer alguma porcaria bem gostosa e ficar feliz. 🙂

\o/

 

Se fodeu.

Se fodeu.

 

 

Vou chamar alguém pra estragar a aparência comigo lá na Chapa. Alguém quer ir?

Bullet Points

  • E então que o ano começou há 28 dias e um milhão de coisas já aconteceram. Coisas boas, coisas maravilhosas, coisas ruins. Já chorei de tristeza e de alegria, de ódio e de idiota, mesmo.
  • Falando em idiota, várias notas mentais estão sendo coladas com post-it no meu cérebro pra que não sejam esquecidas. Umas coisas meio 10 mandamentos, tipo: Não roubarás, Não mentirás (existe isso?), Não emprestarás DVDs. 
  • Fora isso, tem o carro novo que o tio do estacionamento já fez o favor de riscar, tem a expectativa do marido vir morar pra cá, tem a gata adotada hóspede honorária, tem livro sendo lido, propósitos sendo seguidos e amigos sendo reencontrados. Coisas que estavam escondidinhas lá no fundo estão à flor da pele de novo, dando uma sensação simplesmente incomparável a tudo. Delícia!
  •  Preciso emagrecer. Isso não é nenhuma novidade, mas eu preciso emagrecer. Segundo a nutricionista, 8kg. OITO. E tipo, logo. Só que isso tudo tem a ver com levantar a bunda do sofá e comer menos errado. Tipo, ao invés de assistri Grey’s Anatomy das 19h-20h tomando sopa congelada, eu deveria andar na esteira e depois comer algum tipo de complexo vitamínico light. Blé define.
  •  Eu tô assistindo BBB. Mas tipo, não tô exatamente assistindo, do tipo, pára tudo que hoje tem Big Brother. Eu só assisto quando tem escolha do líder, indicação do líder e paredão, o que me dá 4 dias da semana sem BBB. Já é alguma coisa, certo?
  • Perdi o último capítulo da novela. Sério, eu perdi. E nem foi sem querer. (oO)
  • Tenho ido dormir cedo e sentido menos sono durante o dia. Bom, né?
  • Tô sem grana. Tá, você vai falar: Muris tá sempre reclamando disso. Mas eu tô mesmo sem grana. Blé define. [2]
  • Hoje eu acordei muito mau humorada (não mais que ontem), e um post em um site me animou muito. 
  • Quero o Mario Kart e o Mario Paper, pro Wii. Joguei na casa da Ló e tiops, preciso, meu amor.
  • Desde sempre, eu disse que se eu tivesse um filho menino, ia chamar Gabriel. Desde sempre que eu digo é, tipo, desde que eu tinha uns 12 ou 13 anos de idade. Levando em conta que eu tenho 22 anos, acho que metade da minha vida curta dizendo uma mesma coisa pode ser considerado como “desde sempre”, né? Então. Mas ontem eu decidi que vai ser Miguel. Rá.
  • Amanhã eu vou gastar muitas dezenas de dinheiros num corte de cabelo, num salão bacana. Se ficar ruim eu juro que pego a tesoura e furo os olhos da cabeleireira. =)
  • Acabou o assunto.

Britney

Antes

Depois

Lamentável…

Gorda baleia saco de areia

Quando eu era pequenininha (bem pequena mesmo) minha mãe me dava vitaminas pra eu engordar. Eu era uma ratinha de cabelo lambido, e como todos os pais metade italianos metade portugueses, eles entuchavam papá pra Mumu ficar gordinha. O problema é que deu certo. Quando eu tinha 3 anos e minha irmãzinha nasceu, eu já era um torete que só tinha pança, franja e tênis, praticamente um abajur. Um abajur que pegou um gosto danado por chocolate, bolacha, salgadinhos e refrigerantes. Daí a minha mãe, como toda mãe preocupada com a saúde de seus bichinhos, me colocou na natação. Depois no balé, depois na natação de novo, depois no judô, no vôlei, no aero-jazz (até hoje me pergunto que diacho era aquilo), e finalmente, numa academia. Quando eu entrei na academia, aos 12, eu emagreci, tomei gosto pela coisa e tudo, e tal. Mas até lá, eu lembro rindo dos micos que a gordinha aqui pagava.

Primeiro: eu sempre era a mulher do padre nas festas juninas. Que ódio! Sempre, sempre, sempre eu era a mulher do padre! E, claro, o padre era o barrigudinho da turma. Raiva.

Segundo: ninguém NUNCA me escolhia na educação física. Não senhor, eu era o que sobrava, e o time azarado tinha que me engolir. Urgh.

Terceiro: sabe aquela menina da sala de aula que TODOS os garotos são apaixonados? Aquela que eles mandam bilhetinhos e pedem em namoro pra mãe? Então, eu não era essa menina. Mas eu era a melhor amiga dela! Rá, e não pensem que a ‘rapa’ sobrava pra mim. Não sobrava nada pra Mumu.

Quarto: como toda boa gordinha eu era nerd. Aquela que adora estudar pra prova de História, é amiga das professoras e sempre é convidada pra ‘ler lá na frente’. Aquela Prom Queen da sala que era minha amiga, aliás, vivia pedindo cola. E eu dava.

Quinto: minha mãe zoava meu cabelo. Claro, como toda boa mãe. Me fazia umas franjas – toldo – de – quitanda, e secava minha juba já não tão mais lambidinha com secador, deixando tudo com uma aparência meio cônica. Minha mãe também zoava minha roupa. Eu lembro da 5ª série, que eu ia pra escola com umas bermudas jeans que iam do estômago ao joelho, com meias e tênis com biqueira. Descoladas, claro. Sem deixar por menos a monocelha em cima dos olhos. Um hor-ror.

Sexto: não bastando tudo, eu ainda por cima usava aparelho. Mas não, não podia ser apenas aparelho, tinha que ser freio-de-burro, aquele externo que amarra atrás do pescoço. E sim, eu ia com aquilo pra escola.

Sétimo: eu tinha uma bicicletinha laranja de cano alto que ganhei aos 6 anos e usei até os 10. Um dia eu tava passando de bicicletinha na frente da casa de uns moleques e eles zoaram ela. Foi quando saquei que ela estava, sim, muito pequena pra mim.

Oitavo: o primeiro beijinho que dei num menino na vida, foi num barrigudinho que, por sinal, sempre era um dos padres aqueles do item 1.

Nono: precisa de mais exemplos?!

Graças a Deus, depois dessa infância e pré-adolescência traumática eu emagreci e tive uma adolescência cheia de festinhas e meninos. Mas quando entrei na faculdade, a gordinha que existia dentro de mim resolveu sair, hehehe… E saiu.
Hoje eu tava olhando umas fotos de uns 3 anos atrás e eu estava tão magrinha… ui, que dor. Resolvi fazer uma dieta séria e aprisionar a gordinha de novo, ou pelo menos tentar. A bichinha tem força!!!

Mas sabe? Ela é tão divertida, bem humorada e sarcástica que eu fico até com pena.


Muris in the air

Acho que posso considerar este blog como uma espécie de sanatório particular. Psicanálise digital. Do tipo: eu reclamo, você lê. =o)

Contando e rodando!

  • 33,690 caídas de para-quedas por aqui...

Twitter

Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Submarino.com.br

Patrocinado

CDs - Submarino.com.br
setembro 2017
S T Q Q S S D
« mar    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

%d blogueiros gostam disto: