Archive for the 'saudade' Category

Shadow Days

FÁCIL –  O que é fácil: adj. Que se faz sem dificuldade: trabalho fácil. Claro, simples, inteligível.  Aquilo o que não tem sido.

Meu último post aqui neste pseudo confessionário foi há algum tempo. Relendo agora percebo com clareza o quanto as coisas mudam em um prazo de tempo tão (curto? longo?) distante da realidade de hoje. E não que eu seja saudosista, mas às vezes gostaria de ser tão inocente quanto era – se não naquele tempo, antes dele. Gostaria de achar ainda que as pessoas são o que dizem ser, que meus amigos para sempre serão (ou seriam) mesmo eternos, que amores são perfeitos quando amados de verdade, que dinheiro não seria problema de acordo com os planejamentos que – óbvio – se cumprirão.

Não tem sido fácil sentir saudade de pessoas e coisas que eram e não são mais. Querer o que nunca tive, não por opção, mas por me ter sido privado assim, na cara dura. Na sacanagem. Enxergar tudo e todos, sem máscaras, sem ilusões, sem censura, como se a vida fosse uma programação de TV totalmente assustadora, e que fossemos obrigados a assistir a tudo, de preferência sem choro nem drama. Chorar não pega bem e ser dramático, hoje em dia, é cafona.

Os últimos meses foram um compilado de videocassetadas do Faustão feat pegadinhas do Silvio Santos. Foi uma sucessão sem fim de: “Não. Não pode ser verdade.” E te dizer que é foda a vida estar de brinks com a sua cara quando você pede tão pouco dela. Tão fácil. Tão sem drama.

Mas dizem que 2012 foi o fim de uma era energética  e que a partir de 21/12/2012 unicórnios voadores dançariam salsa com pirocas no lugar dos chifres na sexta casa do caralho de Vênus   o planeta ia entrar em outro ritmo. Quero, portanto, crer que todas estas merdas que aconteceram – e vem acontecendo – são resquícios do fim do mundo. Ou pelo menos do mundo que foi o meu. Quero crer que vou voltar a sentir vontade de vir aqui e contar a parte boa da vida, a parte fácil, a parte que, por enquanto, não tem sido. Quero crer que o eixo das coisas vai se ajeitar, cedo ou tarde. Que a porra do unicórnio mágico vai dar um coice nesses lixos todos que estão atulhando meu caminho. Quero crer que vai ficar fácil, ou, pelo menos, sem drama. Quero crer. Preciso.

Porque, cá pra nós, eu ODEIO ser cafona.

 

Anúncios

Rascunho

sunflower sun

 

Desculpa, mas não sei como começar.  Já tentei algumas dúzias de palavras, rabiscos, verbos que se dão todos pra tentar dizer, mas são mudos. Não consigo encontrar a medida certa do que meço com tanto cuidado pra escrever, e no final não me serve.  Não há no mundo nenhuma palavra que diga, mostre, cante na medida certa o tamanho e a força da luz em que você se faz em mim.
Brilho. Quando você chega, chega junto contigo um metro e meio de sol, iluminando tudo e todos que estejam perto de você. Esquenta, colore de verde e azul qualquer noite escura, qualquer dia cinzento, qualquer julho. Qualquer momento se faz fevereiro, se faz férias, festa, fogo! Faz sol quando você está.
E o verbo ser deixa então a forma física e mostra você comigo, no estar de todas as coisas… em todas as músicas, em todas as formas, em todo o mar. Está em todas as pessoas que passam, mas não são. Está no amanhecer gelado de inverno, e na noite quente que cai macia. Está em tudo que me privo… e em absolutamente tudo o que me permito. Está no colorido do reflexo do sol na gota de chuva, na gota de lágrima, na gota de mar que seca na pele.
Você faz parte dos meus dias como uma parte sua que me permiti ter, e tenho, e gosto, mesmo sem conhecer por inteiro. Escolhi sua parte dourada pra carregar por dentro, e me parece tão completa que me basta.
Desculpa, mas não sei como terminar. Não sei se quero; não quero. Mas não sei deixar no infinitivo o que infinito já é por si só, o que gira em torno de mim sem que eu escolha, o que não me pede permissão pra ser, e invade, e é. Assim sol, indiferente às cortinas das minhas janelas, indiferente à noite, à chuva ou ao tédio.  Invadida que fui, não pedi permissão pra dizer… apenas disse.
É injusto não mostrar pra alguém todo o bem que esse alguém faz, mesmo sem saber.  Não sei se devia, se devo ou não. Sequer sei o que será agora. Não sei nem o que é… aliás, sei. É sol. Só sol. Iluminando mais um rascunho mal feito de tudo o que eu preciso dizer, mas não sei como.
Desculpa.

Saudade…

… eterno filme em cartaz.

insira aqui um título para este post

sesame_street

(…)

Depois te conto.*

So when will this end? It goes on and on… over and over, and over again. Keep spinning around, I know that it won’t stop till I step down from this for good.

* marcela biasi.

tão correto e tão bonito

 

E ainda estou confuso.
Só que agora é diferente:
Estou tão tranquilo
E tão contente.

—–

“Atenção absoluta me proíbe de ver. É a distração que enxerga.”

“Todo mundo quer ser equilibrado, mas o amor é puro desequilíbrio.”

Fabrício Carpinejar

—–

Update importante pra por aqui:

"O Essencial é invisível aos olhos

Meu bem hoje me pede pra apagar a luz… Mas pôs meu frágil coração na cruz do meu medo particular…

Sei lá, com a tua ausência tudo se transformou em caos… mas já são 4 e tal…

O desamparo que não me deixava dormir, as horas passavam por ali e eu já não sabia mais de nada. Respirei mas não adormeci.

Então… No meu externo silêncio e na gritaria que eu guardava, segui meu dia, sem ti e sem nada.

Faltava quase nada para o fim, mas lá vem você na madrugada… Com essa voz dizendo assim (…)

Agora já não lembro nada sobre rostos, letras, semelhanças… Não quero mais saber, não. Mais nada.

A alvorada vem aí… E pensei em quantas vezes fui injustiçada por tentarem buscar explicações para tudo, inclusive para o que se sente. Quer saber? Ainda estou confusa mas agora é diferente, finalmente estou tranqüila e contente!

O que era dor me deixou sorrir, por que abri meu peito e resolvi desatar os nós.”

do blog da Lulu.

Já não tenho dedos pra contar…

Então, daí que eu tenho tanta coisa pra contar aqui nesse blog que eu realmente não sei se a preguiça o trabalho acumulado aqui na senzala empresa vai deixar eu escrever de uma vez, mas vamos tentar.

Bom, dia 27 teve show da Maria Rita no HSBC. Não ia no HSBC desde junho de 2008, quando assisti o primeiro e único show da turnê Dois Quartos da Aninha (nem quero me extender no assunto, pois perdi Credicard Hall em novembro de 2008 por ter ficado doente e isso me angustia até hoje quando vejo o ingresso guardado na gaveta). E posso falar? MUITO BOM. A fofa canta muito, o show é lindo, o cenário é lindo, e ela faz você se sentir dentro do DVD, literalmente. Animada, canta muito, dança muito, faz caras e bocas fofíssimas! Interpreta cada canção de um jeito que só ela sabe! Nas três últimas músicas, e no bis, ela fez todo mundo levantar (eu subi na cadeira bjs) e transformou o HSBC numa roda gigante de samba deliciosa!! SENSACIONAL! Amei muito!

maria-rita-por-marcos-hermes-hg-20091216

Fofa!

PRIMEIRA

Definição em 3 palavras: poxa, que coxa!

Mudando de assunto, gostaria de deixar registrado aqui que nunca uma coisa que tenha me deixado tão mal e tão pra baixo na vida tenha gerado frutos tão legais. E queria deixar registrado também que uma das coisas mais deliciosas do mundo inteiro são amizades novas que se mostram tão boas que a sensação que se tem é que elas existem há tantos anos que você nem consegue contar. Realmente, as pessoas se enfiam no coração da gente quando a gente menos espera. E são as melhores! [/mulherzinha]

Pronto, era só pra não perder o costume e a viadagem. Esperem, meu cabritinho Lilico está pedindo uma amora que guardei no bolso do meu vestidinho de chita com babados.

(…)

Falando em amizade, só digo uma coisa: poucas pessoas me viram tão feliz da minha humilde vida quanto as que estavam ao meu lado na quarta-feira da semana passada. Explico. Sabe quando você quer desesperadamente ir em um lugar, mas não consegue uma única alma das almas bondosas que você conhece pra ir com você? Então. E sabe quando você quer tanto, mas tanto, que está quase indo sozinho, apesar da várzea que é ir sozinho, e daí numa última tentativa você convida a pessoa que você menos esperaria que aceitasse, e a pessoa aceita tão rápido e empolgada que você nem acredita? Então.

DSC05648Ju, EU-TE-AMO!

A alegria de assistir isso:

AO VIVO, mesmo que de longe e da arquibancada, não tem NENHUM preço DO MUNDO que pague!!!!!

E falando em nenhum preço do mundo que pague alguma coisa, esse final de semana fui pra Ribeirão na casa dasamiga. E tipo. Fazia bastante tempo que eu não dormia tão pouco em um fim de semana que tivesse me valido tanto a pena. Porque ficar até 8h da manhã tocando violão, sair e beber tanto a ponto de mandar pro inferno qualquer juízo e nem se arrepender, são coisas que só boa companhia faz por você!

Aliás, falando em boa companhia, algumas pérolas básicas desse final de semana precisam ficar registradas, né Fran?

Pérola #1

Tay tocando violão. Eu cantando. Fran de bode. Fran diz, querendo dar uma de sarcástica:

– Toca uma música de Igreja.

(risadinha do tipo ‘calaboca’)

É. Toca Rosana nas Alturas.

Pérola #2

Tay tocando violão, uma das 19013871239763 músicas sertanejas da pasta dela. Eu cantando. Fran de bode. Eu digo:

– Putz, essas músicas antigas do Bruno e Marrone são lindas, né?

Tay diz:

– São. Ow, eu tenho Bijuteria aqui!

Fran diz:

– Jura?! E você nem me mostrou!!

Pérola #3

Eu, Fran, marido da Fran (cuja identidade será preservada) e Tay na balada.

Chega um cara.

Nossa, umas moças tão lindas, blablablablablabla whiscas sachê blablablablablabla whiscas sachê blablabla qual seu nome?

Eu digo:

Joana.

Ele diz:

Prazer, Joana. E o seu? (pra Tay)

Fran diz:

Ela chama Iracema.

Cara diz:

Nossa… que nome lindo…

Eu digo:

É, e ela chama Ana Rita.

Fran diz:

Ana Rita, Joana, Iracema e a Carolina foi no banheiro!

(risadas histéricas) (cara sem entender lhufas) Ele diz:

Prazer, meninas. Meu nome é José!

Eu digo:

E agora, José!?

Depois dessa o José foi embora.

(pra quem não entendeu, clique aqui.)

Foi muito bom. MUITO! Quero mais e mais e mais! Não vou conseguir esperar até Janeiro. Fato. Ah, se a aquela almofada falasse, hein ô Fran? HAHAHAAHAHAHAHAHAAH!!!

Falando em Janeiro, só quero dizer que meu aniversário de 2010 será o melhor aniversário de todos os tempos. Porque passar 3 dias no Rio com duas das suas melhores amigas do planeta num hotel na Barra de frente pra praia e coroar tudo isso com “o” show do ET – abêia – mais FOFO de todos é coisa que tem nem como dar valor aqui não. Fica assim subentendido como uma idéia que existe na cabeça. Prontofalei.

DSC05650

E é isso. É, até que deu pra falar tudo, mesmo o sinhôzinho chefe por perto!

ps: a música tocando lá em cima é a que marcou o final de semana… 🙂 E essa música aqui de baixo é coisa interna… Quem entender levanta o mouse! \o/°

Beijones [/totonho]


Muris in the air

Acho que posso considerar este blog como uma espécie de sanatório particular. Psicanálise digital. Do tipo: eu reclamo, você lê. =o)

Contando e rodando!

  • 33,690 caídas de para-quedas por aqui...

Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Submarino.com.br

Patrocinado

CDs - Submarino.com.br
setembro 2017
S T Q Q S S D
« mar    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

%d blogueiros gostam disto: