Archive for the 'Brasirzão' Category

Rapidinha antes do trabalho

Das coisas que só acontecem comigo – Parte XXIV

Pra quem não sabe eu sou pobre  tenho vários números de celular, um de cada DDD, pra receber ligação, pq sou que nem pai de santo falar com os amigos e família do estado inteiro de graça pela Claro. Daí que ontem a noite eu só tinha crédito em um desses chips, e como cheguei da casa de uma amiga já tarde da noite, mandei um sms pra ela falando “Cheguei”. Deu 5 minutos meu celular apita com a seguinte mensagem: “E daí que chegou, eu te conheço?! Olha o número!!”.

Mas eu tinha RESPONDIDO um sms da minha amiga!! Ocorre que ao invés da Claro enviar a minha mensagem pro número dela, enviou pra uma pessoa que tem o mesmo número, porém outro DDD, lá na casa do caralho.  Pensei: “Que pessoa grossa da porra, não é mesmo?” Já recebi um sms às 3h da manhã dizendo “Amor, a Mauren começou a andar!” e fiquei sem saber se dava parabéns pra Mauren ou perguntava QUEM nos dias de hoje dá o nome de MAUREN pra filha. Mas enfim, sms trocada é a coisa mais normal do mundo, sem grilos. Resolvi nem dar bola pro estressadinho, já era quase meia noite, de repente acordei a pessoa, vai saber…

Daí hoje de manhã, às 7h32 exatamente, me ligam de um número privado, A COBRAR. Depois de me recuperar do susto de achar que perdi a hora e já é Natal (eu SEMPRE acho que perdi a hora) atendi o telefone preocupada com quem poderia ser.

– Alô?

– Quem é você que fica mandando mensagem no meu celular????????????

Era a voz de uma paraíba qualquer, véia e extremamente mal educada. Na hora eu lembrei da mensagem de ontem e fiquei PUTA DA VIDA com a FALTA DE LOUÇA PRA LAVAR da fia.

– Você não tem noção não de acordar os outros as sete e meia da manhã e ainda ligar á cobrar??? VAI TOMAR NO OLHO DO TEU CU, MINHA FILHA!!! – respondi com toda a minha finesse, e desliguei. Coloquei o celular no mudo e a querida ligou mais 4 vezes, mas nem vi, voltei a dormir.

Às 9h da manhã, eu saindo pro trabalho, a querida volta a me ligar. No mínimo a patroa saiu pra ir pro mercado e ela resolveu ouvir mais um pouquinho de merda. Desta vez eu resolvi atender de novo:

– FILHA, O QUE VOCÊ QUER???

– É PORQUE VOCE MANDA MENSAGEM MEIA NOITE PROS OUTROS E…

– EU MANDEI A PORRA DA MENSAGEM SEM QUERER PRO NUMERO ERRADO SUA SEM NOÇÃO DO CARALHO, VAI PRA PUTA QUE TE PARIU INFELIZ GROSSA DUMA PORRA!!!

– NÃO FALA ASSIM COMIG… – e desliguei, calmamente. Ela continuou ligando de um número privado, e à cobrar. Resolvi enviar um sms, desta vez, intencional:

“Pára de me ligar à cobrar e de número privado. Eu tenho o número do seu celular, lembra, TROUXA?”

Daí ela começou a ligar imediatamente de um segundo número, HAHAHAHAHAHAHA! Como eu tenho Android <3, coloquei os dois números no Call Filter, e nunca mais me incomodei. =)

Se um dia ela colocar crédito e me enviar SMS, eu respondo perguntando quanto ela cobra pela faxina. Pq se ela não tem louça suja pra lavar, eu ofereço até meu banheiro pra ela limpar.

E assim começou o meu dia.

E vocês? A vida, a família? Tudo na paz?

Anúncios

cê jura, catho?

Pra quem ainda não sabe, estou disponível no mercado de trabalho em busca de novas oportunidades e desafios, a fim de aumentar meu networking e meu campo profissional procurando emprego. Daí que quando você tá procurando emprego, você assina aquela merda da Catho, porque né. Daí de vez em quando te ligam pra entrevistas, e tal. Pois bem.

Sexta-feira passada me ligaram pra um processo seletivo hoje, às 10h. Quando falaram ‘processo seletivo’ eu já deveria ter ficado esperta, porque entrevista é muito diferente de processo seletivo. Processo seletivo envolve a maior palhaçada que esse povo de RH poderia criar na vida DINÂMICA DE GRUPO, RISOS. Mas tá, fui. No caminho, presa no trânsito, eu já fiquei me perguntando por quê diabos eu acordei cedão pra pegar a 23 e a Radial numa segunda-feira pra ir num “processo seletivo” de uma empresa de um ramo nada a ver comigo com um salário xôxo. Quase fiz o retorno e voltei pra casa umas 3x, mas persisti.

Chegando lá, entrei num lugar que parecia um consultório médico mal acabado, e vi dois caras com pranchetas. Pranchetas são mal sinal, significa que você vai ter que preencher um questionário imenso pra saber se você tem cérebro de mico. Um dos caras tava de terno e gravata (oi?!), o outro tava de TÊNIS (OIIIIII???). Ok. Ganhei uma prancheta também e fui fazer minha prova com redação, na RECEPÇÃO SO LUGAR. Tô lá focada no poema que tinha que ler (oiiiiiiiiii????) e chegou uma mulher que tinha um brinco de CLAVE DE SOL (OIIIIIIIIIIIIIIIIIIII???). Depois disso chegou uma de cabelo curto de jeans e moleca no pé, com uma tatuagem horrorosa na costela e uma camisa curta que mistrava a barriga E A TATUAGEM (OIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII?????????). Daí chegou um negão gordo de CALÇA XADREZ E TENIS NEW BALANCE.

tumblr_lb2sltLgqz1qd6hb7

Nesse momento eu quase pedi se podia ir buscar minha dignidade no carro e me mandar dali.

n22

De coração, fazer entrevista com esse tipo de concorrência não dá.  Mandei um sms pra minha amiga (beijo, @thaisghion) perguntando se era muito HORRÍVEL sair correndo. Mas antes de ela responder, o cara do RH chamou pra ATIVIDADE EM GRUPO.

bete

Eu acho que fazia tempo que eu não queria TANTO morrer. Quando já estava lá dentro, recebi um sms da amiga a respeito de ser horrível ir embora: “Não. É sincero”. Ri sozinha, respondi que já era tarde de mais, guardei o celular e participei da “””””””””””””””atividade”””””””””” em grupo. É. Daquelas com crachá e tudo.

yrt

Descobri que o único cara lá que cursou algo digno de concorrência era o de tênis, o primeiro, da calça não-xadrez. Viúvo, de 38 anos. Ex dono de uma empresa blablabla. Na boa? Um cara de 38 anos disputando COMIGO uma vaga de emprego não merece meu respeito. Com 38 anos eu quero estar ganhando OITO VEZES o que essa vaga pagava, no mínimo. Sério. Fora que certeza que o emprego de merda vai ficar pra dos brincos de clave de sol (oi, gente. oi.), pois além de tia e mala como a empresa, ela ja tinha trabalhado em coisas parecidas com aquilo.

tumblr_lg0duwFUKC1qevrje

Enfim. Quando a tortura dinâmica acabou, me enfiei no carro em menos de 3 minutos e vim embora pensando que se me chamarem pra uma segunda etapa, eu não vou nem atender o telefone. Já no carro, vi 3 SMS da amiga, que me fizeram gargalhar o caminho todo até em casa. Olhem só:

“Hahahahaha eu tava em reunião, pô! SUGESTÃO: zoa a dinâmica e faz tudo errado. Sugestões: fale as hell e fale sobre algum seriado sem parar, use de exemplo em cada frase que você disser, como se algum personagem fosse seu herói de VIDA. Deixa o cel pra tocar que mando 3564837327 msgs barulhentas. Finge que atende e dai fala GRITANDO: o que?! Chegaram os abadás??? Nãããooo acreditooooooo!!! Gente to indo que chegaram os abadás!!! Daí você vai embora cantarolando Ivete. “Acelerae o coração, hoje é dia de ivete!!”

180px-Barril8

~todos chora de rir~

 

Fim.

French Roast

Eu tenho muita coisa pra falar aqui, mas sabe quando não vem aquela idéia sobre como começar exatamente?

Então…

Daí agora à noite eu acessei o Chongas e vi um vídeo de um curta nomeado ao Oscar 2010 na categoria de curta animado. Dá uma olhada:

 

Esse vídeo mostra um tiozinho esnobe, que foi ao restaurante e quando se deu conta, tinha esquecido a carteira. O final é clichê, mas fofo, e me fez linkar algumas das coisas que eu tava querendo falar…

Tenho ido bastante pra Ribeirão Preto, e sempre vou e volto da rodoviária de metrô. Eu normalmente vou muda, sentada do Conceição ao Tietê, normalmente no fundo do vagão, com a minha mala entre as pernas e a mochila no colo, batucando o pé com tênis no chão e reparando. Adoro reparar nas pessoas. Fico olhando o que elas estão fazendo, falando, como olham as outras pessoas.

Na hora de ir, normalmente por volta das 18h, o pessoal que tá no metrô é um povo de sempre. Aquele povo normal. Aquele povo que você vê na rua: meninas voltando da escola com os pais de terno e gravata levando as mochilas cor-de-rosa e discutindo se vai ou não ganhar um cachorrinho; moças com roupa de quem trabalhou o dia todo em algum consultório; emos com all star novinho, unhas pretas, lápis no olho, fones de ouvido conectados ao ipod e aquela cara de “papai cortou minha mesada, então eu sofro”; manos com cara de motoboy arranca-retrovisor; tios de mocassim e calça jeans com uma maleta nas mãos e expressão de “ora-poxa-veja-você-ninguém-mais-compra-enciclopédia”; gente com cara de quem saiu do escritório, da academia, do curso… E o engraçado é que todo mundo tem uma certa desconfiança de todo mundo. Basta entrar no vagão alguém um pouquinho mais mal vestido, ou com uma cara mais de poucos amigos pra notar uma movimentação inconsciente, silenciosa e discreta de bolsas sendo puxadas pra mais junto do corpo, mãos checando se o zíper da mochila está fechado, apalpando se a carteira continua no bolso, ou guardando o telefone na bolsa, o ipod no bolso, a filha embaixo do braço. Barulho.

Mas na hora de voltar a coisa é diferente.

Meu ônibus normalmente chega às 4h20 da manhã na rodoviária do Tietê, e o metrô abre às 4h40. Então eu pego um café na Casa do Pão de queijo e me encosto num pilar junto com a pequena multidão que espera os portões se abrirem. São cerca de duzentas pessoas, mudas. Quando se ouve a porta elétrica abrindo (sim, dá pra ouvir), tudo o que se escuta são bocejos e o barulho de passos em direção às escadas que dão acesso aos trens. Todos os vagões lotam em silêncio. Sentada, observo. O pessoal da madrugada é diferente. Ao contrário do que algumas pessoas pensam – e já me disseram (“cuidado, ficar andando de metrô 4h30 da manhã! cheio de bêbado, bandido.”) o pessoal da madrugada são pessoas que a gente não vê na rua. São aquelas pessoas que enquanto você está andando na rua, estão trabalhando. E que enquanto você está almoçando, estão trabalhando. E que enquanto você está voltando da escola, saindo da academia, indo embora do trabalho, ouvindo música, contando uma fofoca, pensando na vida ou indo pra rodoviária pegar um ônibus pra viajar, estão trabalhando. São pessoas com cara de sono, com olhos de sono, com expressões de sono. São mulheres e homens, de todas as idades, com roupa limpa e recém tirada do cabide. São meninas de meia calça e salto, se equilibrando na plataforma com evidente dor nos pés e uma pasta com currículos nas mãos; são senhores de cabelo e barba grisalhos trajando ternos com cheirinho de amaciante e um emblema de companhia de segurança; são senhoras de saias jeans e sapatinhos, segurando sacolinhas com guarda-chuvas e comendo biscoitinhos que tiram desconfiadas de dentro da bolsa, com uma certa vergonha do barulho que faz o pacote e o crec crec enquanto mastigam no silêncio sonolento do vagão. São pais e mães levando filhos pequenos ou grandes, com ou sem doenças aparentes, descendo em estações próximas a grandes hospitais públicos. São moços (os manos, aqueles das 18h) de roupa de motoboy, mochila, sentados no banco dormindo e acordando automatica e milagrosamente na estação certa para irem pro turno das 5h da manhã. São pessoas simples, humildes. Nem perto bem vestidas quanto aquele outro pessoal. Mau encarados, com cara de nenhum amigo. Com sono, com rugas no rosto de tanto franzir pensando em problemas que são tão óbvios em seus olhos quanto na condição dos sapatos.

E sabe o que é mais interessante?

Ninguém segura a bolsa pra mais perto do corpo.

Só pra constar…

Eu realmente tenho procurado não me importar muito com as barbaridades que tem acontecido por aí. Até porque né. Quem quiser entra no Terra e no Uol e dá uma lida lá e tal. Além do mais, tenho ódio de políticos. Acho que todos os políticos só são políticos por serem filhos da puta. Acredito que os que não são corruptos são corrompidos no caminho, pois ou se juntam ao grupo, ou são tirados. E todo mundo sabe disso, então quem entra pra esse mundo já tem uma predestinação nata de ser um filho da puta.

Mas é que é JUSTAMENTE por conta de tantas coisas preocupantes e sérias que tem acontecido e meu ódio aos políticos que não dei conta de passar por essa sem comentar:

Requião atribui câncer de mama em homem a gays

Para governador do Paraná, doença em homens é consequência de passeatas gay.

É, seu governador. É justamente por fazerem passeatas que os caras tem câncer de mama, viu?

Na boa, se você se preocupasse em fazer seu trabalho (?) decentemente ao invés de ofender as pessoas, como, aliás, é de seu feitio, talvez essa merda dessa tua cara fosse menos escrota.

Desemprego, fome, problemas com transporte público, com a educação, com a saúde, e o cara perde tempo falando uma asneira destas…

PMDB tem me decepcionado cada vez mais. Primeiro, insinuaçãozinha de aliança com o PT. Oi?! Agora o maior representante do partido no estado do Paraná me solta uma dessas.

Ah, meu Brasil! Por isso eu te amo! Tenho tanto orgulho de ser brasileira quando vejo coisas assim! – NOT.

Achei digno!

Fuçando no blog do Evandro (o Christian Pior, pra quem não sabe) achei este post e a-do-rei! Colei aqui. Leiam!

Tô bege bolacha de pobre!
Tô fúcsia boate vazia!
Tô verde doença de verão!
E vamos logo botar pra ferver, quebrar, e causar e aqui vai mais Um post animado/descarado/irado/bobo
Adoro(que também é título de livro do Sig Bergamim)
1-Gordinha que adora ser gordinha, não pede desculpas por ser gordinha, ama, trabalha, vai á praia , tem bofe e tem uma vida bem mais interessante que contar calorias de uma salada ou de um hot dog daqueles de deixar feliz qualquer motoboy!
2-Gente bem humorada e gentil na academia, que não faz carão na hora de revezar o aparelho, que não fica com cara de empáfia em frente do espelho, enquanto levanta a camiseta para mostrar o tanque , que não fica dando risadinhas maldosas quando chega aluno novo e não malhado.
3-Gente que tem cultura musical, seja ela musica eletrônica, seja ela colecionadora de discos de vinil, seja ela apaixonada por MPB, ou anos 80 ou brega ou sei lá, com uma paixão avassaladora por Madonna, ou por Rita Lee, ou pelo Michael, ou pela Elis Regina.
Amo pessoas sensíveis á música e que já acordam ou cantando ou ouvindo algo.
4-Gente que ri alto, no cinema, no restaurante, que dá aquela quebra do povo falando como se tudo fosse um segredo.
As vezes a boa educação é muito chata e extremamente castradora.
Um pouco de Elke Maravilha no mundo, só faz bem ás pessoas.
Ria,ria muito até porque dizem que ri, trabalha o abdomem.
5-Gente que ainda chora, grita, sangra e sofre por amor.
Não tem como ter uma vida amorosa e não pagar alguns micos.
Com o tempo a gente vai aprendendo alguns macetes, mas imunes aos micos, nunca seremos.
Só se você for travado demais, mas aí, que graça vai ter a vida, né?
Ame, dê vexame, peça desculpas e depois nos conte, porque queremos rir também.
E depois nós contamos as nossas desilusões.
6-Vendedores de shopping que nos oferecem água, café, champanhe, bala, catálogo, revista e convites para festinhas.
Gosto daquels vendedores que conseguem fazer você acreditar por 15 minutos que a vida é uma grande festa em que todos os doces não engordam e não dão azia.
Vendedor antipático é tão anos 90…
7-Gente que assume que lê um Sidney Sheldon, que assiste um BBB, Uma Fazenda, que vai em Micareta, que adora Gossip Girl, que vê novela e que chora quando acaba, que ama Victor e Leo.
Gente que obra e anda para o pessoal cool, chic ,tonto e artificial que tanto permeia nossa sociedade.
Gente que se sente bem em sua própria pele.
Gente que não pede desculpas e sim, licença porque vou passar, porque a felicidade me espera logo ali!
"Ser feliz custa bem menos que ser chic e dá menos trabalho"…

beijos e grifes, Evandro

http://www.evandrosanto.com.br
http://www.twitter.com/santoevandro

Vanusa e o hino

Gente, eu sei que isso é suuuuper last summer e tudo o mais, afinal na era do Twitter tudo que é de antes de ontem já fica old. Mas eu PRECISO registrar esse vídeo aqui. Tipos necessidade pessoal.

 

ÉS BELO, ÉS FORTE, RISONHO. E LÍMPIDOOOOO!!!

HAHAHAAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHHAAHAHAHAHAHHAHAHAAHAHHAA!!!!!

Ok, bjo.

Eu, hein

Pra começar já alerto que hoje é segunda-feira e este fato já consegue exterminar o sorriso do meu rosto por si só. Assim, pelo menos até as 18h. Então eu acho que é um belo de um bom momento pra botar pra fora umas coisas que eu ando tendo vontade de falar, assim, logo de uma vez.

Então, lá vai:

copao

Explico.

Ultimamente eu ando de saco cheio de escutar besteiras e ficar quieta. Não que meu saco vá exatamente esvaziar, afinal, se eu falar pra todo mundo tudo o que eu realmente penso de todas as coisas que eu NÃO concordo, eu estaria solteira, desempregada, sem amigos e longe da família inteira há uns 9 anos. Mentira que da família inteira, mas de certos membros dela, com certeza. Porque né. Com 13 anos a gente já saca muita coisa. Só que tem algumas coisas que eu simplesmente cansei de discutir com as pessoas, sabe. Gosto, estilo e valores, por exemplo. Tá que eu não ganho rios de dinheiro e tampouco consigo me sustentar sozinha com a alfafa nossa de cada dia. A alfafa ganha mal dá pro sal do gado e pro leite das meninas, mas a gente faz o que pode. Só que é o que eu ganho cortando cana aqui, e eu gasto como eu bem entender, e eu devo pra quem eu quiser. Se eu gosto de gastar com shows, livros e discos, eu gasto. Se eu gosto se sapatos e roupas, eu gasto. Azar é o meu. Aliás, azar é o do Unibanco, né. Mas enfim.

Digo mais: se no meu carro eu só ouço música estranha, MPB ou punk rock aramaico de freiras cegas belgas de perna cabeluda o azar é de quem? É dos frentistas dos postos de gasolina que eu paro. Porque né amigo, se você tá de carona tá pago pra ficar quieto, concorda?

E não terminei: se eu gosto de dormir muito, quem é que tá perdendo tempo dormindo? Se eu gosto de sair correndo pelada na rua cantando ‘Minha Periquita’, quem é que paga mico? Se eu tomo quatrocentos remédios pra dor de garganta e depois tomo uma Coca Light bem gelada, quem é que se fode com imunidade baixa? É você? Não é, né? Então antes de se passar por boneca-inflável e ficar com essa cara de surpresa, vamos combinar uma coisa: eu sou assim. Certo? Todos entendidos? Ótimo. *

MUDANDO DE ASSUNTO

sexta-feira eu fui no Shopping Ibirapuera comprar o cd novo da Ana, N9ve. Entrei nas Lojas Americanas e achei lá, por R$19,90. Mas só que então. Acho tão tosco as Lojas Americanas. Como diz a Dé, você entra pelos esmaltes, passa por um túnel de ovos de páscoa, pelas calcinhas e potes de plástico até chegar nos cds, que aliás, ficam numa ZONA FRANCISCANA, mal dá pra entender onde fica o sertanejo, o góspel e o punk rock das freiras belgas. E ai, que triste um cd tão bacana dentro de uma sacola da AMERICANAS né, tipo. Enfim. Então que eu pensei que putz, vou na Saraiva. Lojinha aconchegante, bonita, organizada, com uma Starbucks cheirando café novo ali e taus, toda uma experiência de compra né. Então tá, subi os 3 andares, entrei na Saraiva. Tava lindo lá o cd, em destaque na entrada da loja… tudo maravilhoso, mas por R$24,90. Daí meu bolso deu um beliscão na minha bunda e me lembrou que nem rola dar 5 pilas pra Saraiva só porque ela é bonitinha, né. Daí voltei pras Americanas, fiquei 2 horas escolhendo qual capinha tava menos amassadinha nas pontas dentro daquele prástico tosco que eles embalaram e fui pra fila pagar.

Saí toda boba com meu cdzinho, abri, olhei, li o encarte e taus. Embalei bem embaladinho dentro da sacola da Americanas e fui pra praça de alimentação. Proletária que sou, comi no lugar que na matrix Preço x Qualidade fica mais bacaninha e tal. Daí veio a merda: aquela vontade louca de comer um doce. E ai… Amor aos Pedaços. Porque né, mnhamis. Mas daí eu pensei comigo: tá, se é pra pisar na jaca, vou escolher um bolo que esteja MUITO LINDO, e pegar uma fatia beeeem finiiinha, porque daí, das calorias, as menores. Fiquei 3 horas namorando a vitrine, escolhi um bolo lindo, todo recheado, cheio de frufrus e mon amour e tals. Chamei a moça e falei:

– Beeem finiiiiiiiiiiiinho.

E ela cortou realmente BEM fininho. Botou na balança. R$10,40.

Juro por Deus que a porra do bolo custou dez reais e quarenta centavos. Tipo, metade do preço do cd. Tipo, o preço da minha janta. Cara, sentei com vontade de comer aquele bolo por cada centavo que ele custou, e na primeira garfada a única coisa que me veio na cabeça foi:

– Puta que pariu, o bolinho de polvilho da minha tia Arlinda é melhor. E é de graça.

Fui pra casa meio decepcionada, juro por Deus. Porque eu nem gosto tanto assim de doce e com R$10,40 eu enfiava o pé num Mc Donald’s de uma vez. Caralho. Mas segue o baile, né. E eu sigo R$10,40 mais pobre e 968 calorias mais gorda.

FALANDO EM SER POBRE

ontem no supermercado eu notei quão bicha é o meu carrinho de compras. Produto de limpeza, flores, água, sopa, pepsi e areia pra gato. Porque ter gato e tomar sopa é coisa de mulherzinha. Ou de gay. Ou dos dois.

E FALANDO EM SER GORDA

acho que vou entrar na academia. De novo. Sabe quando você sente que precisar SAIR CORRENDO pra queimar banha? Tô super sentindo isso.

Pena que a única coisa que eu consigo focar agora na minha frente é uma tigela cheia dos bolinhos de polvilho da minha tia Arlinda.

biscoito-polvilho

Beijo da gorda! 

* isso não é para ninguém em especial. É no geral, mesmo. Se a carapuça servir, já sabe.


Muris in the air

Acho que posso considerar este blog como uma espécie de sanatório particular. Psicanálise digital. Do tipo: eu reclamo, você lê. =o)

Contando e rodando!

  • 33,690 caídas de para-quedas por aqui...

Twitter

Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Submarino.com.br

Patrocinado

CDs - Submarino.com.br
setembro 2017
S T Q Q S S D
« mar    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

%d blogueiros gostam disto: