Um post sobre amizade

… ou Pagando um pau pra Carol. 😀

Às vezes me pego pensando na vida.

Mas não de forma óbvia como todos nós, inclusive eu, paramos pra pensar às vezes. Não. Me pego pensando na vida como um todo, mesmo. Vou me afastando de mim, assim, aos poucos, e começo a me ver lá embaixo, bem de longe. Me vejo na cama, no quarto, no prédio, num prédio. Numa cidade gigantesca perdida num mundo sem fim. Começo a imaginar o grão de areia que sou numa praia imensa. Praia? Caixa de areia gigante de um universo sem tamanho. Infinito.

Sinto nitidamente todas as coisas ao redor. Silêncio absoluto, o som da minha respiração. As batidas que vêm do peito, lá do fundo. Aos poucos, começo a ouvir cada célula do meu corpo, e viajo pra tão longe que, algumas vezes, voltar não se faz importante, absolutamente. A mente viaja pra alma, uma viagem interior, sem baldeação. Eu, sem nome, sem sexo, sem forma. Eu, ali. Me visitando por dentro, por fora. Eu ali presa em mim e solta ao mesmo tempo, em tudo. Infinito.

Estas viagens me levam a um grau de consciência incrível. Quando retorno, começo a fazer a análise mais óbvia e menos autista que a anterior: a análise da vida que eu, aquela sem forma e nome, levo aqui… Estes dias me têm sido de muito aprendizado de mim mesma. Muitos acontecimentos, e ao mesmo tempo, nenhum. Literalmente. Parece que passei por vidas sem fim até chegar onde estou, uma bagagem emocional imensa, colecionada em adesivos colados aqui dentro por lugares que só eu passei, sem ir. Saudades de cheiros e gostos que nenhum sentido captou. Tristeza e nostalgia de um passado inexistente. Infinito.

Uma única coisa me ficou, neste tempo todo, que não foi nenhum. Uma única coisa, material, real, física. Uma? Não, não foi só uma. Mas foi, sim, única: a amizade. Amigos. É uma palavra tão gostosa de ser dita que não há outro sentimento no mundo, dentre tantos os que não se descreve, pode ser por assim dizer descrito: AMOR. Me impressiona na vida todas as conquistas que vieram sem esforço. Me impressiona tudo o que consegui sem me dar conta. Me emocionam histórias que não consigo acreditar que vivi. Aos poucos, num mundo de tantas reclamações… consigo enxergar vitórias inacreditáveis até pra mim. São pessoas e coisas que quando noto, se materializaram ao meu lado de uma forma mágica e misteriosa, me trazendo uma paz e alegria tamanha que me levam a acreditar que alguns milagres talvez realmente aconteçam! Lei da atração? Sorte? Capacidade nenhuma no mundo justificaria… não é racional. Não pode ser. Não dá pra ser. Racional é matemático, e não consigo colocar em números todas as noites, todas as palavras, todos os sentimentos, todas as vozes e carinhos novos e tão especiais. Não se pode somar batidas do coração, uma vez que este se fez e faz disparado com tanta frequência. Perdi a conta! Perdi a dose! Perdi o medo! Amores e amigos não combinam com consciência, e não se pode, nem se deve querer justificar o motivo pelo qual a pele esfria ou o coração esquenta.

Minha vontade é a de viajar pra dentro de mim todos os dias, só para ver aquele ser sem nome, sem forma, sem tamanho, brilhando uma alegria, enfim, que há tanto se fazia fosca. Sem medo do amanhã, sem pensar. A vida já é tão complicada hoje…

“Que seja breve e louco ou longo e são, mas que seja.”

Que seja infinito.

 

 

Indicação: blog da Carol.

Ps: ultimamente meu sanatório virtual anda meio emo, gente. Liga não, faz parte. Agora licença que vou ali colher amoras no bosque com meu coelhinho Blaublau, em meu vestidinho de chita com cheirinho de tutti-frutti.

Anúncios

1 Response to “Um post sobre amizade”


  1. 1 Carol 06/10/2009 às 20:11

    Ownnnn *__*
    Vc linkou meu blog? Aloka o.O heuaheua

    Enfim.

    Amei.

    Precisava falar? Não, né, não precisava.
    Mas falo: amei. E amo você, por tudo isso.
    Estamos ao mesmo tempo imersas nesse outro mundo, sentindo coisas que, antes, os sentidos não captavam. As vitórias e o sentimento de derrota – ainda que não haja derrota alguma – vêm juntos, pra nós. Você sabe.

    Quanto ao seu autismo-emo, calma, é convivência demais comigo HEUIAHIEUAHIEUAHUIEA
    Logo passa.

    Mas não vc podia passar um post inteiro sem zuar né?
    HEIUahEIUAHEUIAHiueahuiea

    Boa sorte com a sua fazendinha.
    =)

    Amo vc, minha marida (L)


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Muris in the air

Acho que posso considerar este blog como uma espécie de sanatório particular. Psicanálise digital. Do tipo: eu reclamo, você lê. =o)

Contando e rodando!

  • 33,579 caídas de para-quedas por aqui...

Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Submarino.com.br

Patrocinado

CDs - Submarino.com.br
outubro 2009
S T Q Q S S D
« set   nov »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

%d blogueiros gostam disto: